No mundo moderno e dinâmico, não há mais tempo a perder. E as pessoas começam se dar conta de que o tempo é o recurso mais precioso que elas possuem.

Pois o tempo não volta, não pode ser estocado, nem guardado para viver depois, ou tão pouco acrescentar mais tempo à vida.

O tempo é implacável. Se não aproveitado com sabedoria, o arrependimento é certo.

Quem sofre com problemas e questões psicoemocionais e vive cada dia sofrendo com doenças como: depressão, pânico, fobias, ansiedade, disfunções sexuais, traumas e bloqueios, não pode deixar para depois. Sua dor acontece hoje.

A depressão rouba alegria do presente. O pânico e fobia paralisa a pessoa diante do que ela poderia viver, causando limitações, bloqueios e perdas. A ansiedade rouba o presente enquanto se preocupa com o futuro sofrendo por antecipação, sensações de aflição e agonias. A ansiedade não esvazia o sofrimento do amanhã, mas apenas esvazia a força do hoje.

Diante dessa realidade e comparando com a necessidade incessante de um mundo moderno que impõe buscar e alcançar objetivos, realizar desejos e sonhos. Viver a vida em plenitude e abundância é urgente.

Fica cada vez mais claro que, ainda que as terapias tradicionais de médio e longo prazo tenham sua importância e público.

O mundo moderno e o momento presente traz a necessidade de novas alternativas e respostas Terapêuticas, como as terapias breves.Ler mais…
Sem contar que a maioria das terapias tradicionais propõe apenas blocos de melhoras. Entretanto, mesmo a depressão sem tratamento Terapêutico têm blocos de melhoras e ciclos de melhoras. Mesmo que a ausência de tratamento Terapêutico represente um risco e está longe de ser o ideal saudável.

Conforme o estudo abaixo comprova, terapias de médio levam em torno de 5 a 6 meses para descobrir a causa e 2 à 5 anos para tratar. Terapias de longo prazo precisam em torno de 1 à 2 anos para tentar descobrir a causa e 5 à 11 anos para tratar. Já as terapias breves em semanas é possível descobrir a causa e imediatamente tratar questões e problemas psicoemocionais, envolvendo ou não, sintomas psicossomáticos e a pessoa começar perceber a ausência de sintomas, presença de bem-estar com qualidade de vida em relação as doenças citadas acima:

Pode-se traçar um comparativo entre as terapias – segundo pesquisa de Barrios (1970), a comparação do número médio de sessões para obtenção de resultados no tratamento, foi a seguinte*:

– Psicanálise: 11 anos e meio – 600 sessões com 38% de resultado Terapêutico**

– Terapia Comportamental: 6 meses – 22 sessões e 2 à 5 anos com 72% de resultado Terapêutico**

– Hipnoterapia e Hipnoanálise: 1 mês e meio – 6 sessões com 93% de resultado Terapêutico**

Esse estudo tem sido meta-validado em várias outras pesquisas na atualidade. Provando portanto, que as terapias Breves é a resposta as necessidades imperativas das pessoas que vivem no mundo moderno e dinâmico, em que o tempo é o recurso mais escasso e o mais importante da vida do ser humano. Pois quando a chama da vida se acaba, nada mais é possível fazer.

Alguns dizem que as terapias breves como: PNL – Programação Neurolinguística, a Hipnoterapia e Hipnoanálise (linhas terapêuticas da Hipnose) não produzem resultados sustentáveis. Contudo, os estudos que têm sido realizados e os acompanhamentos ao longo de anos por terapeutas e cientistas da mente humana, tem comprovado a sustentabilidade e o resultado: eficiente e eficaz das terapias breves; bem como, demonstrado que a taxa de reincidência ou recidiva dos problemas e questões psicoemocionais é mínima, com menos de 1 à 2%. Provando assim, que as terapias breves, não apenas, são eficientes e eficazes, mas também sustentáveis a curto e longo prazo. Na maioria dos casos para vida toda e com resultados que proporcionam uma qualidade de vida que não tem preço. Já que viver a vida com plenitude e saúde psicoemocional é a chave para uma vida com mais felicidade.

Venha você também viver uma vida sem limites…

Referências e notas:

* Barrios, Alfred A. Hipnoterapia: uma reavaliação (Hypnotherapy: a reappraisal, 1970). Uma análise publicada na revista: American Health Magazine, elaborada pelo psicólogo americano Alfred A. Barrios, Ph.D.,

** Resultados Terapêuticos: considerando como sendo Resultado Terapêutico a ausência de sintomas, presença de bem-estar e qualidade de vida sustentável e não apenas blocos de melhoras.

Anúncios